30.4.05

Congratulations, Mr Mourinho!

Taiwanese Take-out

29.4.05

Re: Não quebre esta corrente...

Por uma estátua ao Gasolineiro Desconhecido

Arte e Liberalismo

GEORGE WEIGEL: "how little can I believe, and how little can I do, and still remain a Catholic?"

"Ever since the Second Vatican Council, some Catholics and most of the world media have expected...that the Catholic Church follow the ...the path of accommodation to secular modernity and its conviction that religious belief, if not mere childishness, is a lifestyle choice with no critical relationship to the truth of things.

These expectations have involved both doctrinal accommodation (e.g., the question of whether Jesus is the unique savior of the world) and moral accommodation (e.g., the many issues involved in the post-Freudian claim that human beings are essentially bundles of desires).

...it is very, very difficult to argue that this strategy of cultural accommodation --- which in some cases bleeds into cultural appeasement --- has solved the 250-year-old problem of being Christian in the modern world.

Nor is it possible to demonstrate, empirically, that cultural accommodation or appeasement produce vital, growing, compelling Christian communities. Precisely the opposite is the case...

...the path of accommodation...has been the central assumption of what's typically called "progressive" Catholicism. That assumption has now been decisively and definitively refuted. The "progressive" project is over --- not because its intentions were malign, but because it posed an ultimately boring question: how little can I believe, and how little can I do, and still remain a Catholic?

...The really interesting question is, how much of this rich, vast, subtle tradition have I made my own?"

[Fonte]
Não me parece que sejam só os 'progressistas' que sigam a via 'minimalista'. (A começar por mim).

Leitura Recomendada

The recent attack on modern liberalism by “communitarianism” has caught the attention of many political theorists. The insights of F. A. Hayek prove especially helpful in understanding what is at stake in the communitarian/liberal debate. Hayek’s classical liberalism scarcely resembles the rationalistic, rights-based claims of modern liberalism and is at least partly sympathetic to communitarianism’s vision of the good society.

Reversão

Subsídios agricolas

Harmonização fiscal

Flat taxes, once a fantasy of free-market ideologues, are sweeping across the European Union and could be introduced in more than 10 of the bloc's 25 member states.

The European commissioner for taxation, Laszlo Kovacs, described flat taxes, - one rate for all income and corporate taxation - as "absolutely legitimate" and said Western European nations may be tempted to adopt them.

(in The Independent, via ASI)

Alemanha e França dizem-se ameaças pelas políticas fiscais dos países de leste. Defendem a harmonização fiscal entre os membros da União Europeia. De certa forma, mais cedo ou mais tarde, vão conseguir atingir o objectivo! O interesse na taxa única de impostos cresce...

Estado e a família

Como se deturpa as ideias dos outros

"Um Papa 'progressista' pode permitir a ordenação de mulheres" (uma investigação internética)

"Responsum ad Dubium Concerning the Teaching Contained in Ordinatio Sacerdotalis

Dubium: Whether the teaching that the Church has no authority whatsoever to confer priestly ordination on women, which is presented in the Apostolic Letter Ordinatio Sacerdotalis to be held definitively, is to be understood as belonging to the deposit of faith.

Responsum: In the affirmative.

This teaching requires definitive assent, since, founded on the written Word of God, and from the beginning constantly preserved and applied in the Tradition of the Church, it has been set forth infallibly by the ordinary and universal Magisterium (cf. Second Vatican Council, Dogmatic Constitution on the Church Lumen Gentium 25, 2). Thus, in the present circumstances, the Roman Pontiff, exercising his proper office of confirming the brethren (cf. Lk 22:32), has handed on this same teaching by a formal declaration, explicitly stating what is to be held always, everywhere, and by all, as belonging to the deposit of the faith.

The Sovereign Pontiff John Paul II, at the Audience granted to the undersigned Cardinal Prefect, approved this Reply, adopted in the ordinary session of this Congregation, and ordered it to be published.

Rome, from the offices of the Congregation for the Doctrine of the Faith, on the Feast of the Apostles SS. Simon and Jude, October 28, 1995.

Joseph Card. Ratzinger
Prefect

Tarcisio Bertone
Archbishop Emeritus of Vercelli
Secretary
O então Cardeal Ratzinger escreveu mesmo um texto explicativo sobre esta questão.

A Igreja não tem autoridade para permitir a ordenação de mulheres. Por isso, independentemente de quem use as sandálias do pescador, nunca teremos sacerdotes do sexo feminino.

Que rumo para o CDS?

Leitura recomendada

Não há vergonha na cara

Sistema eleitoral autárquico

Os nossos protectores

Eight countries voted in favour -- Belgium, Ireland, Latvia, Finland, Sweden, the Czech Republic, Netherlands and the United Kingdom. Voting against were Austria, France, Luxembourg, Portugal and Slovakia.The rest of the EU-25 abstained, except for Malta, Greece and Lithuania who were not represented at the meeting.
Isto demonstra que, ao contrário do que dizia um agricultor do Burkina Faso, na Europa não vivemos numa sociedade que pode optar. Os OGM's serão importantes em países menos desenvolvidos por gerarem alimentos em quantidade até então indisponível:
A cultura de dois tipos de arroz geneticamente modificado na China permitiu aos agricultores reduzir em 80 por cento o uso de pesticidas e aumentar os rendimentos, em comparação com as plantas tradicionais.(...)Por outro lado, nenhum dos agricultores (que plantaram exclusivamente arroz geneticamente resistente aos insectos) teve problemas de saúde geralmente ligados ao contacto com os pesticidas, como enxaquecas, irritações cutâneas ou náuseas durante os dois anos em que fizeram essas culturas, segundo os investigadores. Em comparação, 8,3 por cento dos agricultores que cultivaram arroz clássico e que recorreram a pesticidas queixaram-se de problemas de saúde ligados a esses produtos químicos em 2002. Esta proporção subiu para 10,9 por cento em 2004.
Também em produtos não alimentares como o algodão há impacto positivo no rendimentos disponíveis. Claro que a existência de barreiras ao comércio destes produtos empobrece os países potencialmente exportadores. A UE, como potencial importadora, prefere continuar a suportar a PAC, tal como ontem foi aqui lembrado.

Mais do mesmo

"o ministro [Augusto Santos Silva] afirmou que [quer] limitar a concentração dos meios de comunicação social; criar uma nova entidade reguladora para sector e um novo estatuto do jornalista.

Em prol da credibilização da ONU

China entra para Comissão de Direitos Humanos da ONU.

(...)

Entre os eleitos encontram-se a China, Zimbabué e Marrocos (...).

28.4.05

O que dizem e o que fazem

Jornalista: compra produtos das lojas chinesas?

Entrevistada: Eu não, privilegio o comércio tradional português.

Jornalista: Posso ver a etiqueta do seu casaco? Onde o comprou?

Entrevistada: Na Zara... deixe-me cá ver a etiqueta... Made in China!!!

Antes de defenderem medidas proteccionistas, vejam a etiqueta...

Separados à nascença

Escolas privadas reduzem diferenças sociais

A recent analysis of national test score data suggests private schools do a better job than public schools of closing the achievement gap between black and white students as they progress from fourth to 12th grades.
(...)
Averaged across subjects, the public school racial achievement gap is virtually unchanged between fourth and 12th grades. By contrast, the gap in private schools is an average of 27.5 percentage points smaller in the 12th grade than the fourth.

The achievement gap closes faster in private schools not because white private school students lose ground with respect to white public school students as they move to higher grades, but because black private school students learn at a substantially higher rate than black public school students.

(in Heartland Institute, via Education Watch)

O artigo também refere a eficiência dos programas de vouchers junto das comunidades menos favorecidas.

Tudo no mesmo saco?

Do ponto de vista da vítima

Sugestão de Leitura

Orçamento comunitário

Não? Talvez, sim.

«L'électorat de droite choisit le oui parce qu'il a le sentiment que les électeurs de gauche font l'inverse, commente Pierre Giacometti, directeur général d'Ipsos [responsável pela sondagem]. La réalité est plus nuancée : un électeur de gauche sur deux n'est pas fixé définitivement sur son choix.»
Autre aiguillon du oui de droite : 66% des électeurs de l'UMP et 72% des électeurs de l'UDF craignent un affaiblissement majeur de la position de la France en Europe en cas de rejet du traité. «C'est aujourd'hui le premier motif d'un vote favorable à la ratification du traité chez les électeurs de droite», souligne le directeur général d'Ipsos.
Example

Leitura recomendada

Leitura recomendada

Cavaco liberal

Cavaco Silva apontou como reformas imprescendíveis (...) a reforma da administração pública, (...) o aumento da concorrência (...)
Cavaco Silva criticou ainda o discurso antiglobalização, contra os países do leste e asiáticos (...)
Para contornar as dificuldades que se avizinham, o professor exorta as empresas a apostarem na especialização (...)
Se repararem ele não defende que as empresas texteis portuguesas devam ser subsidiadas, ou tão pouco que se imponham restrições às importações chinesas.

Para quem é visto, por alguns liberais, como sendo de centro/centro-esquerda, não me parece nada mau...

Todos diferentes, todos desiguais

27.4.05

Os subsidios

The beer game

Sucesso é mau para as empresas

Japan's car makers should consider giving their US rivals a breathing space to avoid the risk of a political backlash, the boss of Toyota has said.
(...)
in the last couple of years, the popularity of Japanese cars with American consumers has hurt US car firms. Toyota last year sped past DaimlerChrysler to take third place in the US market

Many motor industry analysts argue that US motorists prefer Japanese brands because US manufacturers' designs are dull and dated.

(in BBC News, via LvMI)

Os clientes deixaram de ser a prioridade da empresa. Satisfazer a classe política é a nova fórmula de sobrevivência!

As facturas dos outros

a dependência do trabalho científico em relação à sua eficácia económica e empresarial foi também lamentada por esta docente, que defende maior autonomia da investigação face aos interesses das empresas.
As facturas da investigação científica podem até ser suportadas pela comunidade onde se insere o investigador, como é o caso das universidades públicas. Mas que essa comunidade espere algo em retorno, é indesejável por condicionar o livre processo científico.
Estranho pressuposto para uma docente de um instituto da Universidade do Porto, que pretende dar saída profissional aos seus formandos.
Apresenta saídas diferenciadas para cada uma das áreas: medicina (carreira pública ou privada), exercício da medicina veterinária, aquacultura e pescas, controlo de qualidade e controlo ambiental e sanitário nas ciências do meio aquático, ou indústria na área da bioquímica.
Causará isto algum constrangimento à investigação desenvolvida pelos docentes e pelos alunos?

E a investigação feita pelos laboratórios da indústria farmacêutica, que procuram criar novos medicamentos? Também é de lamentar?

Refém das sondagens

A equipa que prepara a candidatura de Isaltino Morais à Câmara Municipal de Oeiras pediu uma sondagem sobre as intenções de voto dos Oeirenses. Segundo o estudo, a que o PortugalDiário teve acesso, caso Isaltino se candidate, receberá os votos de 48,4 por cento dos eleitores. Uma percentagem que, de acordo com a mesma sondagem, Teresa Zambujo não conseguirá.

Se a actual presidente da autarquia se candidatar pelo PSD, as previsões atribuem-lhe 36,3 por cento dos votos, ou seja, vence mas sem maioria absoluta.

(in Portugal Diário)
Será que a sondagem teve financiamento da conta bancária do sobrinho taxista?

Refém comunista

Num cenário Carmona versus Carrilho, o ex-ministro da Cultura perde. Uma sondagem interna do PS prova que o filósofo também perderia com Santana Lopes, se este fosse candidato. Mas em coligação com o PCP, Manuel Maria Carrilho chega aos Paços do Concelho pela porta grande.

Este é o resultado de uma sondagem feita pelo PS há cerca de três semanas. Sozinho, o ex-ministro da Cultura perde, disse fonte socialista ao PortugalDiário.

Com o PCP e Bloco de Esquerda, ganha.

Uma boa notícia para quem o lê desde os 13

Incentivos ao desemprego

Cerca de um quinto dos agregados veriam potencialmente reforçado o seu rendimento familiar caso um dos seus titulares viesse a auferir do subsídio de desemprego em substituição do rendimento de trabalho. Esta é uma das conclusões de um estudo da Direcção-Geral de Estudo e Previsão, do Ministério das Finanças, divulgado ontem, que procura avaliar os efeitos combinados do sistema fiscal e do sistema de transferências, associado à Segurança Social.

(in Jornal de Negócios, via Causa Liberal)

Sócrates fala alemão ou francês?

Direito à propriedade

26.4.05

Camisola respondível

O que significa uma camisola fabricada, hoje em dia, na China?
Um meio de sobrevivência para milhares de chineses.

O que significa a confluência, recente mas não eterna, do comunismo com o capitalismo sem regras na China?
Respeito pela propriedade privada. Capitalismo "sem regras" significa que o comércio só existe se houver mútuo acordo entre as partes - ao contrário das regras arbitrárias do Estado.

O que significa a vontade proteccionista europeia e o seu estado social, quarentão mas decerto não eterno, face a esta camisola chinesa?
Menor escolha para os consumidores europeus.

O que significa hoje a Europa, quando enterra a cabeça na areia para recusar com dramatismo a globalizada camisola chinesa?
Políticos avestruzes!

Qual o futuro possível da camisola Chinesa?
Concorrência da camisola africana (mão-de-obra mais barata).

Qual o futuro real da Europa?
Vestuário mais barato, novos sectores de actividade, maior mobilidade e produtividade dos trabalhadores ou, alternativamente, perda de competitividade mundial.

Quererá a Europa que a globalização varra naturalmente a própria Europa do mapa, ou quererá a Europa preparar-se para um novo mundo - o mundo do presente - que parece nem sequer querer ver, imaginar ou admitir?
Pelo que se discute na Comissão Europeia, não é a globalização mas, sim, o proteccionismo que vai "varrer a Europa do mapa".

País sem lei

[A juíza Susana Cajeira, do Tribunal de Vale de Cambra]considerou (...) provado que os arguidos não transpuseram o portão, pelo que os factos não preencheram o tipo legal de crime de que vinham acusados, que era o de introdução em local vedado ao público, passível de ser punido com pena de prisão até três meses ou multa até 60 dias.

Na sentença, a Juíza justificou a decisão, considerando que para se verificar o crime se pressupunha que tivessem vencido uma qualquer barreira que limitasse o espaço físico, no caso o portão, o que não ocorreu, pelo que absolveu os nove activistas do Greenpeace e dispensou-os de pagamento de custas.
Procuro voluntários para formação de cordão humano à porta do Ministério das Finanças com o objectivo de impedir a entrada do ministro Luís Campos e Cunha...

Catholic X Files

“Hoje fui almoçar com a minha Mãe.

Quando cheguei a casa dela, ofereci-lhe o terço que você me tinha dado na 6ª feira e disse-lhe que o mesmo tinha sido benzido pelo Papa João Paulo II.

A minha Mãe ficou muito agitada. Até lhe vieram as lágrimas aos olhos! Obrigou-me a contar-lhe logo ali quando e de que forma é que o terço me tinha chegado às mãos.

Depois de me ouvir, a minha Mãe contou-me, comovida, que na 6ª feira de manhã, enquanto assistia às exéquias, tinha pedido ao Papa um terço benzido por ele porque tinha decidido passar a rezar o terço ao Sábado ‘como o Papa tinha pedido’ [Nota: Ao contrário do que a Senhora pensa, o Papa pediu que se rezasse o terço todos os dias.].

E depois disto tudo, veja lá, ela teve a lata de me dizer que nunca tinha pensado que fosse a sua filha ‘herege’ que havia de lhe trazer o terço.

Eu é que sou 'herege'! Eu que fui a única das filhas dela a mandar as netas para a Catequese! Tudo isto só porque não vou à Missa aos Domingos.”
A colega “que não é muito dessas coisas” ficou algo afectada por a Mãe lhe ter chamado ‘herege’

Mulder e Scully investigam

Mulder e Scully dirigiram-se ao local e concluíram que:

  • O facto do departamento de correio interno da Organização ter conseguido entregar a encomenda ao destinatário certo em tão pouco espaço de tempo demonstrava, para além de qualquer dúvida, que tinha havido uma intervenção sobrenatural.

  • Se alguém quisesse um terço benzido pelo Papa, não valia a pena estar a incomodar o Papa João Paulo II. Bastava encomendar directamente junto da Fundação Ajuda à Igreja que Sofre. Logo, o testemunho da Mãe era pouco credível.
MORAL DA HISTÓRIA: Caso alguém tenha um terço a mais, o melhor é oferecê-lo porque pode ser que alguém necessite dele.

E assim se tenta eliminar o debate...

Plymouth police are contacting two political parties after complaints were raised about some of their general election advertising.
The Conservative party made claims in a Plymouth newspaper advertisement about how much money has been spent locally supporting the asylum system.
Police are also investigating a UKIP anti-immigration poster in Devonport.
It follows complaints from a number of organisations and people who say the items increase racial tension.
(...)
Inspector Gary Neeves of Devon and Cornwall Police's Diversity Unit, said he was concerned about the Tory advert and its effect on ethnic minorities in Plymouth.
"We understand the need for political parties in a free and democratic society to voice their opinions.
"However, we also have to consider the impact on communities in the city.
"The advert caused distress and concern and a degree of fear among minorities in the city."
The complaints have been recorded by the police as non-crime racist incidents.
O que se está a passar aqui é pura e simplesmente uma tentativa de censura, mas uma censura muito mais subtil e, provavelmente, eficaz do que a censura do lápis azul do antes do 25 de Abril. Tenta-se evitar um debate sobre a imigração como se discutir a imigração fosse um crime inominável. Controlando-se as palavras, controla-se o pensamento.

E esse é o objectivo final do politicamente correcto.

Anti-semitismo intelectual uma vez mais


Eu já escrevi anteriormente sobre os boicotes académicos a Israel (ver esta entrada - no Super Flumina - pelo que não me vou alongar muito mais sobre o assunto.

Todavia, apraz-me registar que alguns membros desta associação britânica de professores universitários, segundo esta notícia estão a reagir e a protestar junto da associação.

De facto, estes boicotes são absolutamente hipócritas e injustificados, ainda para mais numa altura que se regista uma acalmia nas relações israelo-árabes - embora a gente saiba que organizações como o Hamas, por exemplo, estão de má-fé como se pode comprovar aqui - pelo que este boicote nada vem acrescentar a não ser o facto de representar a confirmação do anti-semitismo que vai grassando entre muitos (soi-disant?) intelectuais universitários por esse mundo fora.

Leitura recomendada

Custo de oportunidade, outra vez

Uma série de avaliações desenvolvidas nos últimos anos pelo centro de inovação Inteli, sobre o efeito Autoeuropa na economia, afasta dúvidas quer, por um lado, quanto ao elevado efeito multiplicador do projecto quer, por outro, quanto manifesta fragilidade das chamadas empresas de raiz nacional.

Os cálculos desta entidade, que se tem dedicado a implementar uma estratégia nacional para o sector e no âmbito da qual criou o Istrat, indicam que por cada euro de apoio concedido pelo Estado à Autoeuropa, esta gerou 14,4 euros de riqueza na economia, o que é considerado um valor elevado.
O "apoio público" ascendeu a 620 milhões de euros. Isto significa que a "riqueza gerada" foi cerca de 9 biliões de euros. Dado os apoios estatais terem ocorrido entre os anos de 1991 e 1996, podemos calcular, de forma simplificada, a taxa de retorno anual deste investimento público: 25%.

Ora, se é para brincar aos investimentos com o dinheiro dos contribuintes, teria sido melhor investir na bolsa portuguesa (PSI20: 41% de taxa média de retorno), espanhola (IBEX35: 43%) ou francesa (CAC40: 32%), dados bem mais fidedignos que qualquer tentativa de cálculo do montante da riqueza criada pelo sector automóvel.

Os jornalistas esquecem(?) sempre de referir o custo de oportunidade de tais investimentos que, neste caso, é o benefício que o contribuinte retiraria da riqueza que o Estado lhe confiscou.

Conforme escreveu Bastiat em 1850, é sempre mais fácil olhar para a obra do político...

Comércio pouco livre

"The situation is grave for European industry and jobs," [French Foreign Minister Michel] Barnier said. "We have to act as quickly as possible ... and take protective measures."
Assim se protege esta indústria, não dando oportunidade a todos os outros participantes na economia de beneficiarem directamente dos ganhos de acesso a mercadorias mais baratas. Esses ganhos seriam usados em consumos doutros produtos, noutras indústrias ou em poupança que financiasse investimentos ou consumos futuros.
The EU investigation was criticized by the Foreign Trade Association, which represents several leading European retailers. "This new threat of import restrictions is neither comprehensible to importers nor European commerce," said FTA General Secretary Jan. A. Eggert. "The imposition of safeguard restrictions would be a major drawback to European commerce."
Claro que se deve considerar o desemprego gerado nas empresas menos eficientes e que durante os últimos anos não se prepararam para esta competição. Do mesmo modo, se uma nova empresa se instalasse em Portugal e empregasse novos métodos produtivos poderia forçar o fecho de outras menos eficientes. O problema social está associado à mão de obra pouco qualificada para trabalhar noutras tarefas (necessitando de diferentes capacidades - tecnológicas, por exemplo), noutras indústrias e indisponibilidade para migrar para outras regiões do país.

Outro argumento que muitas vezes surge, tem a ver com as condições sociais dos países produtores, que lhes permitem obter tão baixos custos de produção: utilização de trabalho forçado ou infantil em países onde os direitos humanos não são respeitados. A internacionalização da economia, através do comércio, terá a potencialidade de melhorar as condições de vida desses países produtores servindo como entrada de outras práticas sociais.

Perfeitamente

Hayek e Bento XVI

A luta da liberdade

É o apocalipse!

25.4.05

Atlântico

Momento internacionalista

Putin aprofunda credenciais democráticas

In his annual state of the nation address to parliament and the country's top political leaders, Putin said the Soviet collapse was "a genuine tragedy" for Russians.

Os vinte e cincos de Abril

Os liberais face ao 25 de Abril (II)

O liberalismo assenta na livre empresa, o 25 de Abril nacionalizou bancos, seguradoras, jornais, cimenteiras e empresas grandes, médias e pequenas.
O liberalismo defende propriedade privada, o 25 de Abril quis acabar com ela.
O liberalismo assenta no respeito da propriedade agrária, o 25 de Abril fez a «reforma agrária».
O liberalismo é pelo Estado de Direito, o 25 de Abril prendeu sem culpa formada.
O liberalismo é pluralista, o 25 de Abril proibíu partidos.
O liberalismo é pela liberdade de expressão incondicionada, o 25 de Abril condicionou os órgãos de informação e tentou tirá-los aos seus legítimos donos, como a «Rádio Renascença» e o «República» para melhor os controlar.

Os liberais face ao 25 de Abril

A degradante escravidão da modernidade

Liberdade, correctamente entendida

24.4.05

As vantagens de ter uma televisão estatal

The BBC was last night plunged into a damaging general election row after it admitted equipping three hecklers with microphones and sending them into a campaign meeting addressed by Michael Howard, the Conservative leader.###

The Tories have made an official protest after the hecklers, who were given the microphones by producers, were caught at a party event in the North West last week. Guy Black, the party's head of communications, wrote in a letter to Helen Boaden, the BBC's director of news, that the hecklers began shouting slogans that were "distracting and clearly hostile to the Conservative Party".

These included "Michael Howard is a liar", "You can't trust the Tories" and "You can only trust Tony Blair".

(...)

Last night, the BBC claimed that the exercise was part of a "completely legitimate programme about the history and art of political heckling" and said that other parties' meetings were being "observed". However, The Telegraph has established that none of Tony Blair's meetings was infiltrated or disrupted in similar fashion.

The Conservatives have called for an apology and an assurance that no such incident will occur again. It has also demanded that the BBC promises never to broadcast the footage. The corporation said it would investigate "very fully". It and other broadcasters have a statutory duty to remain impartial during election campaigns. The corporation's guidelines for producers state: "Our audiences rightly expect the highest editorial and ethical standards from the BBC."

Leituras liberais sobre Bento XVI

30000

Sensibilidades...

La Chiesa è viva – così saluto con grande gioia e gratitudine voi tutti, che siete qui radunati, venerati Confratelli Cardinali e Vescovi, carissimi sacerdoti, diaconi, operatori pastorali, catechisti. Saluto voi, religiosi e religiose, testimoni della trasfigurante presenza di Dio. Saluto voi, fedeli laici, immersi nel grande spazio della costruzione del Regno di Dio che si espande nel mondo, in ogni espressione della vita. Il discorso si fa pieno di affetto anche nel saluto che rivolgo a tutti coloro che, rinati nel sacramento del Battesimo, non sono ancora in piena comunione con noi; ed a voi fratelli del popolo ebraico, cui siamo legati da un grande patrimonio spirituale comune, che affonda le sue radici nelle irrevocabili promesse di Dio. Il mio pensiero, infine – quasi come un’onda che si espande – va a tutti gli uomini del nostro tempo, credenti e non credenti..
Isto parece ter incomodado muito um dos comentadores da TSF, que referiu logo que o Papa tinha mencionado os judeus e não os muçulmanos (que obviamente estão abrangidos pela expressão "credenti e non credenti").

Eu só pergunto: e por que raio teria o Papa que se referir aos muçulmanos? Os irmãos mais velhos dos cristãos são os judeus, por quem especificamente se pede a Deus na Sexta-feita Santa, na Celebração da Paixão do Senhor durante a Oração Universal. É o Antigo Testamento que está incorporado na Bíblia Sagrada, não o Corão, que aliás é bem posterior.

O Papa apenas foi fiel à tradição e à história da Igreja. Nada mais. Todavia há sempre comentadores com sensibilidades muito exacerbadas...

Leitura recomendada

O primeiro genocídio do séc. XX