24.12.05

Véspera de Natal

Et hoc vobis signum: invenietis infantem pannis involutum et positum in praesepio". Et subito facta est cum angelo multitudo militiae caelestis laudantium Deum et dicentium: "Gloria in altissimis Deo, et super terram pax in hominibus bonae voluntatis". (Lc 2, 12-14)

Nunca votei CDS...

Invadido por Guilherme Abanapera...

My only question is why anyone ever employs anybody else in the formal sector.

I keep asking myself the same question.

O Natal não é para os covardes

"Mas o confinamento mesmo de Deus na esfera 'religiosa', Sua exclusão dos debates científicos e filosóficos, que hoje até mesmo os religiosos aceitam como cláusula pétrea da ordem pública, já é uma herança mórbida da estupidez iluminista. O 'muro de separação' entre conhecimento e fé é uma farsa kantiana erguida entre dois estereótipos.
(...)
O que se opõe à fé não é a razão, é a covardia. Para legitimar essa covardia ergueram-se masmorras de pseudo-argumentos. No fundo delas, o leproso lambe suas chagas, o cego adora sua cegueira, o paralítico celebra a impossibilidade de caminhar. Os pobres, imaginando-se reis e príncipes, festejam a rejeição da boa notícia. Orgulhosos da sua impotência, adornam com o nome de 'ciência' a teimosia de negar os fatos.
(...)
O maior escândalo intelectual de todos os tempos é a fraude constitutiva da modernidade, que, excluindo do exame todos os fatos que não tenham uma explicação materialista, conclui que todos os fatos têm uma explicação materialista."

Olavo de Carvalho, "O Natal não é para os covardes"

(via JB Online)

For some people, environmentalism is collectivism in drag

Few opponents of energy development in what they call "pristine" ANWR have visited it. Those who have and who think it is "pristine" must have visited during the 56 days a year when it is without sunlight. They missed the roads, stores, houses, military installations, airstrip and school. They did not miss seeing the trees in area 1002. There are no trees.###

Opponents worry that the caribou will be disconsolate about, and their reproduction disrupted by, this intrusion by man. The same was said 30 years ago by opponents of the Trans-Alaska Pipeline, which brings heated oil south from Prudhoe Bay. Since the oil began flowing, the caribou have increased from 5,000 to 31,000. Perhaps the pipeline's heat makes them amorous.

Ice roads and helicopter pads, which will melt each spring, will minimize man's footprint, which will be on a 2,000-acre plot about one-fifth the size of Dulles Airport. Nevertheless, opponents say the environmental cost is too high for what the ineffable John Kerry calls "a few drops of oil." Some drops. The estimated 10.4 billion barrels of recoverable oil -- such estimates frequently underestimate actual yields -- could supply all the oil needs of Kerry's Massachusetts for 75 years.

Flowing at 1 million barrels a day -- equal to 20 percent of today's domestic oil production -- ANWR oil would almost equal America's daily imports from Saudi Arabia.

(...)

For some people, environmentalism is collectivism in drag. Such people use environmental causes and rhetoric not to change the political climate for the purpose of environmental improvement. Rather, for them, changing the society's politics is the end, and environmental policies are mere means to that end.

The unending argument in political philosophy concerns constantly adjusting society's balance between freedom and equality. The primary goal of collectivism -- of socialism in Europe and contemporary liberalism in America -- is to enlarge governmental supervision of individuals' lives. This is done in the name of equality.

People are to be conscripted into one large cohort, everyone equal (although not equal in status or power to the governing class) in their status as wards of a self-aggrandizing government. Government says the constant enlargement of its supervising power is necessary for the equitable or efficient allocation of scarce resources.

Therefore, one of the collectivists' tactics is to produce scarcities, particularly of what makes modern society modern -- the energy requisite for social dynamism and individual autonomy. Hence collectivists use environmentalism to advance a collectivizing energy policy. Focusing on one energy source at a time, they stress the environmental hazards of finding, developing, transporting, manufacturing or using oil, natural gas, coal or nuclear power.

23.12.05

Bom Natal

Mercado de futuros = informação (2)

The power of markets, it turns out, has something to say about practically everything. We see it at work on Wall Street, which absorbs the collected wisdom of millions of investors and expresses it as stock prices. Prediction markets now let people bet on everything from sports scores to election results to the expected capture of al-Qaeda bigwig Abu Mousab al-Zarqawi.

(...)

The driving force behind prediction markets is something called information aggregation. Traditionally, it has been the realm of professionals such as pollsters or weather forecasters or the CIA. Those experts tend to be knowledgeable but are prone to certain limitations: personal bias, groupthink, clashing personalities.

(...)

Markets are hard to beat and even harder to manipulate. On Dec. 11, 2003, InTrade's contract on Saddam Hussein's capture suddenly began to move. "We noticed that that contract started trading from 9 to 30 for no reason," says Mike Knesevitch, communications director. "Something was happening." In fact, someone may well have been trading on inside information. Two days later, Saddam was in custody.

(...)

For individuals, markets are beginning to offer potentially useful opportunities to hedge risk in their lives. Do you think the real estate market is going to crash and take your house with it? HedgeStreet.com lets you take a position on the median home price in a number of large cities by matching your bet in a "hedgelet" against someone with the opposite opinion. Similarly, you can hedge the price of gasoline, mortgage rates or inflation rates. [Justin] Wolfers [a markets expert at the University of Pennsylvania's Wharton School] believes that individuals will ultimately be able to use markets to hedge everything, even their own employability.
Nota: os únicos candidatos presidenciais que, por enquanto, não se mostraram "preocupados" com a referida aposta foram os economistas Francisco Louçã e Cavaco Silva.

Wafah Dufour, sobrinha de Osama Bin Laden

Her uncle is the world's most wanted man and a byword for zealotry.

Which makes these poses by Osama Bin Laden's niece either very brave or extremely foolish.###

Wafah Dufour, 26, is seen sprawled on a bed in lingerie, a feather boa and high heels.

(...)

New York-based Wafah, who adopted her mother's maiden name after the September 11 attacks directed by Bin Laden, is the daughter of his half- brother Yeslam.

She has already risked Osama's wrath by declaring her ambitions to launch a pop career. But that was nothing compared with her decision to appear in a photoshoot for the January edition of American GQ magazine.

Verdade, tolerância e relativismo

The great Catholic philosopher Jacques Maritain has stated that “the man who says: ‘What is truth?’ as Pilate did, is not a tolerant man, but a betrayer of the human race.” ### There is genuine tolerance, he goes on to say, when a person is convinced of a truth, but at the same time recognizes the right of others who deny this truth to speak their own mind. Such tolerance is respectful of other people and recognizes that they seek truth in their own way and may one day discover the truth they presently contradict, given their natural intellectual capabilities that are ordered to truth.

The person who is genuinely tolerant does not turn his back on truth, as did Pilate, nor does he disparage others for not having already found it. He retains his commitment to truth and respect for others as he lives in the hope that they, in their own individual way, will finally come to honor the truth that, for whatever reason, has eluded them.

(...)

The distinction between pseudotolerance and genuine tolerance is critical because the former is often mistaken for the latter. This mistake leads to a radical devaluation of the importance of truth, especially truth of a moral nature. Consequently, a person may be accused of being “intolerant” simply because he holds to a truth, such as the iniquity of abortion or the disordered nature of homosexual acts.

When pseudo-tolerance, severed from any relationship with truth, reigns supreme, it is elevated to the exalted, if unwarranted, stature of being a first principle. Therefore, people will say, “Who knows what is true or false, right and wrong? Let us all be tolerant.” Nonetheless, as is only too evident in the world today, these disciples of Pontius Pilate can be utterly intolerant of anyone who takes a position that is anchored in truth. Pro-choice people, whose position is based on nothing but choice itself, are not tolerant of pro-life people whose position is based on the intrinsic value of all human beings.

At the same time, it is important to recognize the limitations of tolerance, even in its most genuine form. Tolerance is a secondary phenomenon. It is a response to something that preceded it. People often ignore what initially transpired and urge others to be tolerant of it. Yet, it is critical to understand the moral nature of what took place first. It is preposterous, in the true sense of the word (prae + posterius = putting “before” that which should come “after”), to make tolerance a first principle and demote the initial action to a place of secondary importance.

(...)

Tolerance, of itself, is not a virtue. Pseudo-tolerance that is founded on ignorance, cowardice, or apathy is actually a vice. In order for tolerance to avoid being a vice, it must be founded on a positive regard for truth and an abiding love for others. Genuine tolerance owes its genuineness to its association with virtue (especially love, prudence, and courage). But as mere “tolerance,” it is too broad and acontextual a notion to be classified as a virtue.

Presently, we hear equally loud voices proclaiming the need for both complete tolerance and zero tolerance. The secular position on tolerance is simply incoherent. Society is currently reeling from “tolerance confusion” (an essentially intolerable state) because it continues to ignore the fundamental question of truth. The first question we should ask is not “How can I be more tolerant?” but “How can I come to know the truth?”


(via O Pasquim da Reacção)

Blog recomendado

Terrorismo de extrema esquerda na União Europeia

A China e seus Parceiros

"A China não tem e não quer ter parceiros, estratégicos ou de qualquer outro tipo. A China é, para todos os efeitos, o seu próprio e único parceiro; ela quer continuar assim e acha que se basta a si mesma. Talvez ela tenha razão."

Paulo Roberto de Almeida, "Sobre os interesses nacionais da China"

(via Paulo Roberto de Almeida)

Não é à toa que sempre digo que os chineses são uns sínicos...

La Libertad

"La libertad, Sancho, es uno de los más preciosos dones que a los hombres dieron los cielos. Con ella no pueden igualarse los tesoros que encierra la tierra ni el mar cubre; por la libertad, así como por la honra, se puede y se debe aventurar la vida. Y por el contrario, el cautiverio es el mayor mal que puede venir a los hombres".
Don Quijote de la Mancha
- Miguel de Cervantes


(via CEDICE)

A questão dos crucifixos - perspectiva histórica

Socialismo e salazarismo

Talk is cheap!

As apostas têm como objectivo lucros - para a empresa e para o utilizador registado no site. Tendo como base um valor de 100 euros, os ganhos para quem aposta variam, consoante o vencedor das eleições de 22 de Janeiro:
  • caso vença Cavaco Silva, o lucro não ultrapassa os 20 euros;
  • Manuel Alegre, 400 euros
  • Mário Soares, 550 euros
  • Jerónimo de Sousa, 10 mil euros
  • Francisco Louçã, 20 mil euros.
Contactadas pela SIC, as candidaturas em causa mostraram-se surpreendidas com o jogo da Betwandin.

Manuel Alegre disse que não foi consultado pela empresa e que não gosta de ver o seu nome associado a um site de apostas.

Também Jerónimo de Sousa considera inaceitável que os nomes dos candidatos presidenciais estejam a ser utilizados desta forma. O candidato apoiado pelo PCP garantiu que se vai reunir com o gabinete jurídico do partido para avaliar a situação.

Por sua vez, Francisco Louçã desvalorizou o problema. Os "staffs" de Cavaco Silva e de Mário Soares prometeram uma reacção nas próximas horas. O director de campanha de Soares, Alfredo Barroso, disse mesmo que, à partida, esta é uma situação ilegal e que poderá vir a merecer uma posição de força.
"As apostas têm como objectivo lucros" mas são, também, uma relevante fonte de informação (pessoalmente, penso que são mais importantes que as próprias sondagens).

Nota: as críticas dos candidatos à betandwin podem também ser dirigidas a jornais, rádios e televisões quando estes publicam sondagens; afinal, estão a lucrar com a sua publicação...

Contabilidade nacional castrista

Cuba announced Thursday it had turned a corner in its recovery from severe financial crisis, reporting 11.8 percent growth in 2005 using its own method for calculating gross domestic product.

(...)

Cuba's methodology for calculating economic growth, adopted in recent years, takes into account the country's vast social safety net and subsidized services.

Rescaldo das Insurgenciais 2005

Momento inter-religioso do dia

Música quotizada

A propósito deste texto do BrainstormZ (ou deste meu), pergunto-me se as rádios online, pertencentes ao domínio ".pt" (como o Cotonete) terão de cumprir as ditas quotas.
Então e se estivermos a ouvir umas das rádios temáticas disponíveis no Cotonete? Digamos que estamos a ouvir a que é dedicada à música francesa ou a de trance ou a dedicada a James Bond; como pretendem obrigar o Cotonete a forçar a audição de música portuguesa?
Ou por não poder cumprir as regras deste disparatado proteccionismo radiofónico, será proibido de emitir? Talvez seja melhor pensarem em mudar já o domínio para ".com" - até pode ser que o Plano Tecnológico subsidie.

Leitura recomendada (III)

Soares apostou num combate de boxe com um adversário que não joga boxe e que capitaliza precisamente o sentimento de desencanto e exaustão do País em relação ao boxe político (sentimento esse de que Soares manifestamente não se dá conta). O discurso de Cavaco é nebuloso e equívoco, escondendo os riscos de uma subversão presidencialista do regime? Se a suspeita é legítima, não há pior forma de fundamentá-la do que recorrer à artilharia pesada dos processos de intenção. E existe, também, uma questão de coerência, se nos lembrarmos do activismo do segundo mandato de Soares, que tanto contribuiu para desgastar a governação de Cavaco. Fará então sentido opor ao minimalismo suspeito do discurso cavaquista uma visão minimalista da Presidência?

Leitura recomendada (II)

He would not have been surprised when the Los Angeles Olympics during the Reagan administration were organized and managed, not by government, but by a large network of associations put together by a private association created just for this purpose. Tocqueville would have been proud of having pointed out that the most distinctive discovery of the Americans was the art of association — which he even dared to call the central art of modern life and the most important art of democracy. He valued especially associations invented by citizens to improve civic life in its intellectual, moral, and cultural dimensions, but of course in all its dimensions.

We can be pretty confident that Tocqueville would have been quite worried, however, about a new method employed by the state (or if not the state, at least the elites who make it their chief interest to enlarge the state) to turn civic associations into instruments of the State. These new organs are typically called Non-governmental Organizations, NGOs, and many of them are genuine associations, which allow citizens to govern aspects of their own lives cooperatively without turning to the state. But many of them are no more than lobbying organizations, founded and financed to build constituencies for enlarging government activities and government bureaucracies. Such NGOs take advantage of the "iron triangle" formed by lawyers, statist political parties, and the staffs of government agencies, to pick off the ripe fruit made available by the benefits and privileges and entrapments of the new regulatory state.

Leitura recomendada

«Anuncio-vos uma grande alegria (...): nasceu-vos hoje (...) um Salvador, que é o Messias Senhor» (Lc 2,10-11)

Que título maravilhoso

Notícia de última hora

22.12.05

Música portuguesa por decreto é inconstitucional

Além das quotas [de 25% de música portuguesa], o diploma fixa também uma nova definição, mais abrangente, de música portuguesa, que inclui criações de cidadãos estrangeiros residentes em Portugal, criações de cidadãos portugueses em língua estrangeira e todo o universo da lusofonia. Mesmo assim, 60 por cento da música portuguesa a difundir ao abrigo da nova legislação terá de ser composta ou interpretada por cidadãos nacionais em língua portuguesa. E um quarto da quota terá de ser preenchida por novidades editadas nos seis meses anteriores. A coima prevista em caso de infracção varia entre três e 50 mil euros.
Provavelmente esqueceram-se de ler a Constituição da República Portuguesa, que tanto dizem defender (meus destaques):
Artigo 37.º (Liberdade de expressão e informação)

1. Todos têm o direito de exprimir e divulgar livremente o seu pensamento pela palavra, pela imagem ou por qualquer outro meio, bem como o direito de informar, de se informar e de ser informados, sem impedimentos nem discriminações.

2. O exercício destes direitos não pode ser impedido ou limitado por qualquer tipo ou forma de censura.
Se o diploma passar a lei, que fará este (ou o próximo) presidente?

AirCIA

Uma ajudinha

Paz na Terra aos Homens de Boa Vontade

BALI bombings commander Mukhlas has written a fanatical call-to-arms from his death-row prison cell, exhorting Muslims to kill Westerners.
Published on a website on the orders of notorious terror chief Noordin Mohammed Top, the polemic demonstrates the undiminished fervour of Mukhlas, who has been sentenced to death for commanding the Bali bomb blasts in 2002 that killed 202 people, including 88 Australians.

"You who still have a shred of faith in your hearts, have you forgotten that to kill infidels and the enemies of Islam is a deed that has a reward above no other"(...)"Aren't you aware that the model for us all, the Prophet Mohammed and the four rightful caliphs, undertook to murder infidels as one of their primary activities, and that the Prophet waged jihad operations 77 times in the first 10 years as head of the Muslim community in Medina?"(...)"What matters in this life is less important than what happens in the next,"(...)"We should live to love jihad and die as martyrs for Allah." (...)

Before the website was shut down, it carried instructions on how to kill Westerners in Jakarta by using sniper tactics with guns and grenades.

Líder do CDS chama assassino a Che Guevara (2)

Pedidos ao Pai Natal

1. Que Cavaco ganhe à primeira volta;
2. Que Soares fique atrás de Alegre;
3. Que Cavaco tenha mais de 55%;
4. Que Louçã fique atrás de Jerónimo;
5. Que Louçã e Jerónimo tenham menos de 5%;

Leitura recomendada (II)

Leitura recomendada

É urgente mudar radicalmente a Constituição

Não basta que o próximo Presidente assuma o compromisso de cumprir e fazer cumprir esta Constituição. Menos ainda questionar os poderes que esta Constituição confere a um Presidente da República.

O próximo Presidente da República tem o dever de promover a mudança radical desta Constituição. O nosso texto constitucional não deixa o país responder à tal crise criada por um mundo aberto e uma economia global.

Não é possível salvar o modelo social, enquanto a Constituição obrigar a que seja «gratuito» aquilo que o sistema de impostos não vai conseguir pagar. Não é possível criar novos empregos, enquanto os «direitos adquiridos» constitucionais apenas se aplicam aos empregos que se vão perdendo.

Cavaco Silva e Mário Soares não podem chegar às eleições sem esclarecer isto: estão dispostos a ser nos próximos cinco anos o mesmo Presidente que Jorge Sampaio foi nos últimos dez? Um refém constitucional?

"Em defesa da pureza do vinho" ou "Mais uma história sobre proteccionismo" - II

Os ministros da Agricultura da UE aprovaram um acordo sobre o comércio de vinho com os EUA. Portugal votou contra.
Em causa está a utilização das expressões tradicionais associadas as denominações de origem do vinho do Porto - "tawny", "ruby" e "vintage" - que os EUA podem utilizar, o que pode confundir os consumidores e prejudicar as exportações do vinho por Portugal.
O ministro da Agricultura e Pescas, Jaime Silva, justificou o veto numa declaração escrita, considerando "inadmissível" que Bruxelas tenha mudado de estratégia relativamente aos EUA ao permitir que continuem a usar aquelas designações, contrariamente ao que aconteceu nas negociações com a África do Sul em 1999.

É uma chatice, isto de deixar os consumidores decidir. Até se pode dar o caso de eles não agirem como os reguladores querem. Mesmo quando tanto se esforçam para lhes indicarem o bom caminho: têxteis portugueses, vinho nacional. Até se pode dar o caso, inusitado certamente, de os consumidores mudarem subitamente de preferências e fugirem ao previsto nos acordos que restrigem o comércio internacional. Não pode ser. Há que protegê-los deles mesmos. É uma chatice.

Citação

1975 (...) Intervenção socialista - [O] Jornal Novo publica o manifesto do grupo Intervenção Socialista, que une os ex-MES, liderados por Jorge Sampaio que pretende pensar o caminho e o modo de construção do socialismo democrático e que quer intervir pensado o socialismo. Por outras palavras, antigos compagnons de route da esquerda revolucionária, simbolizada por Carlos Antunes, preparam uma viagem mítica que os há-de conduzir à liderança da democracia pluralista, a que tardaram a aderir. Tal como antigos militantes comunistas, que apoiaram o cerco à Constituinte, se hão-de converter nos papas do constitucionalismo. E todos se condecorarão mutuamente, não faltando sequer o discreto tique das memórias do quase adolescente totalitarismo, quando alguns tratam de invocar a necessidade de uma espécie de caça às bruxas fascistas, como tal qualificando os que, na altura, deram a vida pelo pluralismo contra o comando comunista do PREC. Nem por isso deixaram de aliar-se a antigos ministros de Salazar, ainda no activismo, porque alguns deles até descendem directamente de ministros da ditadura, ou são filhos de directores-gerais e de outras figuras gradas ao salazarismo. A respectiva coragem anti-fascista teve sempre esta espécie de seguro de vida boa, que lhes garantiu um exílio doirado. Daí que o respectivo anti-fascismo platónico nunca tenha passado as raias do do revolucionarismo armado, até porque sempre reconheceram a falta de condições objectivas para o triunfo da revolução, com as consequentes crises de choro.
in "Tradição e Revolução - Uma biografia do Portugal Político do século XIX ao XXI" Vol II de José Adelino Maltez

The ostrich

Pol Pot e Mário Soares: a mesma escola

Mark Steyn na Spectator: 'reflex irrational bigotry'

..the author of a new book called Ideas...was asked to name ‘the single worst idea in history’. He replied:

‘...ethical monotheism. The idea of one true god. The idea that our life and ethical conduct on Earth determines how we will go into the next world. This has been responsible for most of the wars and bigotry in history.’
...Watson is missing the bigger question: something has to be ‘responsible for most of the wars and bigotry’, and if it wasn’t religion, it would surely be something else. In fact, in the 20th century, it was. Europe’s post-Christian pathogens of communism and Nazism unleashed horrors on a scale inconceivable even to the most ambitious Pope. Hitler, Stalin, Mao, Pol Pot: you’d look in vain for any of them in the pews each Sunday. Marx has a lot more blood on his hands than Christ — other people’s blood, I mean — but the hyper-rationalists are noticeably less keen to stick him with the tab for the party.

So the big thinker would seem to be objectively wrong in what, for a secular rationalist, sounds more like a reflex irrational bigotry all his own.

[Fonte]

O modelo estoniano (New York Times)

Estonia...is not like other European countries....Estonia became the first country to adopt [a flat tax] in 1994, as part of a broader strategy to transform itself from an obscure Soviet republic into a plugged-in member of the global information economy.

...the plan is working. Estonia's economic growth was nearly 11 percent in the last quarter - the second fastest in Europe, after Latvia...

..."Everybody dreams about a society with no inequality," Prime Minister Ansip said. "But the best policy is to have a strongly growing economy. With more prosperity we can increase social benefits."

...not everybody loves the status quo...Edgar Savisaar [A prime minister of Estonia under Soviet rule], is among those who believe that the flat tax has deepened class differences...Mr. Savisaar now leads a popular center-left party, which is in a shaky coalition with Mr. Ansip.

[Fonte]
O modelo português conseguiu obter maiores niveis de desigualdade com um sistema de impostos progressivos...e o crescimento económico é ligeiramente inferior...

East Timor: 183,000 killed under Indonesian rule

An investigation into human rights violations has found at least 183,000 people were killed in East Timor during its 24 years of occupation by Indonesia.

[Fonte]
Na altura dos massacres os media anunciaram um número de vítimas ligeiramente superior.

O garante da estabilidade está nos eleitores

Líder do CDS chama assassino a Che Guevara

Ribeiro e Castro, considerou ontem "preocupante" que haja jovens que têm como ícone Che Guevara, "um dos grandes assassinos do final do século XX". O líder do CDS defendeu que "é importante que a esquerda se saiba libertar dessas suas referências tremendas de violência, crueldade e intolerância".

Palavras que surgem na sequência de duras críticas feitas, quarta-feira, por José Sócrates, que então qualificou como "irresponsáveis" declarações do presidente do CDS, em que este defendia que a origem do terrorismo está na esquerda. Uma ideia que este ontem reiterou "A esquerda tem responsabilidades em grandes males do mundo. Isso é indiscutível". "Olha-se para o cortejo de miséria na África contemporânea e sabe-se que isso é devido a regimes de esquerda que têm governado o continente", apontando também os regimes de Cuba e Coreia do Norte. " O terrorismo contemporâneo tem origem numa deriva totalitária do pensamento marxista-leninista" e isso "tem que estar presente no consenso do combate ao terrorismo", defendeu o líder do CDS, qualificando as críticas de Sócrates como "disparatadas, deslocadas e excessivas".

Vitória moral (2)

Ainda sobre a performance de Soares

21.12.05

Respeito

Tal e qual

Poderia escrever trinta linhas sobre a inqualificável atitude de um velho mau, arrogante e ressabiado, mas não me apetece.

Desmontagem política

Resultados da próxima sondagem...

Morales, o defensor do comércio livre

Since Morales rose to prominence as leader of one of the six coca federations in the Chapare, he is a forceful advocate of removing legal restraints on coca cultivation. Under Morales, the forcible eradication of coca is likely to end. However, Morales has said that he wants to find alternative uses for coca and does not favor drug trafficking.
Defende uma agricultura atenta ao mercado, resultando num comércio livre sem interferências dos estados que mundo fora colocam barreiras à importação/exportação e criminalizam quem tenta furar as restrições impostas. Também ele já percebeu que assim favorece os rendimentos dos seus eleitores, sem precisar de os subsidiar.

O Luís Marvão acha que ele "representa a esperança das massas de deserdados, dos campesinos indígenas secularmente oprimidos", vitorioso sobre "despotismo liberal, que as elites teimavam em impor ao país" e por isso discorda das considerações que Alvaro Vargas Llosa faz sobre Evo Morales.

The future's so bright I gotta to wear shades

Cavaco Silva também sabe que a crise financeira está a ser debelada -- mercê das corajosas políticas do governo de Sócrates -- e que atrás do saneamento das finanças públicas virá a recuperação económica, ajudada pelo feliz desfecho das perpectivas financeiras da UE, pela anunciada melhoria da situação económica europeia nos próximos anos e pelos grandes investimentos públicos já desencadeados.
Vital Moreira no Causa Nossa

"Quase Dirty Harry"

Ouço muita gente dizer que o Soares-Cavaco de ontem não foi interessante e não ficará para a história. Eu gostei. E parece-me existir um momento que, precisamente, ficará para a história, como o “olhe que não” de Cunhal ou o “é só fazer as contas ao PIB” de Guterres. É quando Soares, depois de atazanar o juízo do pobre Cavaco (e de todos os portugueses que assistiam à conversa) com o seu estilo rasteiro e as suas menções a palermices como “os oceanos” ou a “cidadania global” (Cavaco até gargalhou comigo neste ponto), lá lançou o “eu sei o que me diziam os meus amigos na Europa”. Nessa altura, o ecrã está dividido e vê-se Cavaco claramente a conter-se. Não a conter-se para responder à letra. Mas conter-se para não se levantar da cadeira, agarrar nos colarinhos do outro e ameaçá-lo com uma pêra bem enfiada. Como Dirty Harry: “you’ve got to ask yourself one question: do I feel lucky? Well, do you, punk? Go ahead, make my day”.
Luciano Amaral n'O Acidental

"Em defesa da pureza do vinho" ou "Mais uma história sobre proteccionismo"

The European Union approved a trans-Atlantic agreement on U.S. wine imports into a glutted European market Tuesday, but Germany called for the imposition of a "purity law" to protect European wines from U.S. vintners practices.
German Farm Minister Horst Seehofer said that a new EU code needed to be applied to assure the quality of European wines and that practices such as adding water to dilute the alcohol and aging wine with woodchips to improve flavor were unacceptable.
"Adding wood chips to wine in Europe is just unimaginable in our wine culture," said Seehofer.
Mas porque é que não deixam os consumidores decidir que produtos, e a que preços, comprar?

Ficou conhecido por governar sem eleições

[Cavaco Silva] é um homem estruturalmente autoritário
Rui Branco no Super Mário

Calvinball

O modelo grego

O que está em causa nas presidenciais (2)

Alguém tem de ser responsabilizado

O culpado do costume

O que está em causa nas presidenciais

Sobre a falta de cultura de Soares

Soares, como muito boa esquerda, usa a cultura como arma de arremesso político. Mas quem o faz não precisa de ser culto. Alguma falta de modéstia costuma ser suficiente. De resto, falta a Soares aquilo que falta a muitos que se auto-intitulam cultos. Falta-lhe cultura suficiente para perceber porque é que quem é verdadeiramente culto não precisa de se auto-intitular como tal.

Soberba

Acabei de ver o debate e nunca pensei que Soares pudesse descer tão baixo. A má-criação, a condescendência, a pose relaxada do rei da barriga, a mentira, a calúnia, a deturpação, a arrogânica, tudo não teve limites.

(...)

A má-criação do tratamento por "ele". Que depois passa aleatoriamente para "Doutor Cavaco", "Professor Cavaco", como quem "eu trato esse tipo que está aí como bem me apetecer". Soares que, do alto da sua licenciatura com uma média desprezível, fala de si próprio como "professor", por ter dado umas quantas aulas na universidade. Querendo-se por ao mesmo nível que Cavaco, professor catedrático, que dá aulas há anos e anos. Soares que trata Cavaco por "economista razoável", dizendo que não tem problemas em fazer "esse elogio". Cavaco resiste. Os ataques ad hominem não param. Que Cavaco "não tem conversa", que em qualquer situação social não sabe falar senão de economia. E por aí afora. Não tirei apontamentos. Mas não consigo compreender como é que alguém pode ter visto o debate e ponderar sequer a possibilidade de ter Soares como representante máximo da nação.###

(...)

Quem não denuncia a calúnia e o grau zero da política também não merece respeito. É isso que vamos poder ver amanhã nos jornais. Porque a verdade é esta: Soares esteve a anos-luz do que João Jardim nos habituou. Soares está perigoso, porque é uma besta acossada com uma vaidade desmedida que não tem correspondência no seu valor pessoal.

A partir de hoje, declaro que perco qualquer respeito pessoal por quem considere votar Soares depois de ter visto este debate. Perco também qualquer respeito intelectual por quem ache que Soares possa ter ganho o debate.

Natal, história e cultura

It is bewildering, therefore, that there should apparently be people here who take such offence at Christmas, and against whom a brace of archbishops feel the need to take up their croziers. I suspect they are very few in number and exert an influence far in excess of their real strength. Like all extremists and bullies, they deserve no tolerance at all.

They might merit some of our pity: if they shut themselves off from the Christian culture, whether from the beauty of the liturgy, the serenity of church music, or from admiring the reticulated tracery of an east window, then their lives can only be deeply impoverished. They must also conduct a pretence that some of our most fundamental institutions are expressly Christian: notably our monarchy, and the Established Church of which our monarch is Supreme Governor. Parliament still begins each day's deliberations with prayers.

...

The modern Left exercises a militant anti-Christianity not so much because of a cultural cringe in the face of immigrant minorities, but because of its general wish to dismantle history. Once you have erased Christianity, you have erased (or at least made appear irrelevant) much of the past 1,400 years. "Modernisation" in all its political forms is about the tabula rasa, and there are few ways of creating one of those so effective as the destruction of the traditional faith.

About time!

Vitória moral

Balanço (a sério)

(ainda) O Euro

Estádios demasiado grandes para a necessidade do país; câmaras municipais excessivamente endividadas para os próximos 20 anos; derrapagem de 13,3% nas acessibilidades; e mais de mil milhões de euros de investimento público total. As conclusões críticas são extraídas da segunda fase de auditoria ao Euro 2004 e levam o Tribunal de Contas (TC) a questionar "se o elevado montante de apoios públicos" ao campeonato organizado por Portugal no Verão de 2004 não poderia ter tido "uma utilização mais eficiente noutras áreas de relevante interesse e carência pública"
Eu iria mais longe e arriscaria mesmo afirmar que, com grande probabilidade, os privados teriam utilizações bem mais relevantes para os mil milhões de euros gastos nestes "elefantes brancos".

[fonte: DN]

A fé move montanhas

Não quero ser deselegante, mas Cavaco Silva fez hoje uma tristíssima figura
João Pinto e Castro
A candidatura de Soares todos os dias cresce. A de Cavaco todos os dias decresce
Rui Branco

Twilight Zone III

Soares seguiu a estratégia do boxeur sabido, acumulando golpes e mais golpes nos pontos sensíveis do adversário. Foi para estúdio com um único objectivo: reduzir Cavaco à sua insignificância política de tecnocrata que governou «em tempo de vacas gordas». E conseguiu.


José Medeiros Ferreira:

O debate entre Mário Soares e Cavaco Silva deu a diferença entre duas personalidades.Mário Soares como candidato a Presidente da República, Cavaco Silva como candidato a primeiro ministro.

Grande Votação Insurgente 2005: resultados finais

Balanço

Fim da votação

20.12.05

Faltam dezasseis minutos para o fecho das urnas

Round-up III

Cavaco Silva conseguiu evitar todas, ou quase todas.
Case closed.

Round-up II

Round-up I

Resultado às 21:00h

O grande vencedor deste debate

Mais debates

Twilight Zone II

Twilight Zone I

Uma questão de regras

Spin

Concluindo

Debate não foi esclarecedor

Balanço final

Nicles

Balanço final

Afinal Alegre tinha razão

É nossa primeira eleição, sabe...

Já cá faltava

Duas?

Perspectiva de carreira

Extraordinário

Uma coisa é certa

Com tanta pergunta...

Contra-ataque (II)

Golpe de Mestre

Todos imensamente relevantes

Em 2016 é a minha vez

Dr. Soares, responda sff

Pobres alunos

Cavaco tem fobias

Patetices

Um problema de conversa

Para que servem os debates

Finalmente!

Soares contra Sampaio

Agradeça-me

Constatação

O problema de Soares

Diferenças de governação

Incoerência total de Soares

A ilusão soarista

Finalmente algo relevante

Agnóstico duvidoso

Certificação internacional

O estado do debate

As banalidades de Soares

I wish...

Ah! Afinal tem! Pouca, certamente...

A falta de lógica de Soares

Quem sabe de economia fala de economia, mais nada - quem não sabe de nada fala de tudo um pouco.

Passado presente

Ridículo

Contra-ataque

Acabem-me com essa raça maldita!

Consenso sobre a importância do diálogo

Estou confuso

Para começar o segundo tempo

Somos todos de esquerda

Comentário do primeiro tempo

Balanço ao intervalo

Uma nota sobre todos os candidatos

O poder da palavra

Mas engana bem

Mais um ataque pessoal

Debate alternativo

O candidato contra o despesismo

Realidade alternativa

Assobia

Começou

A praga digital

A questão da noite

O gigantesco custo do cartel das farmácias

O sector das farmácias, embora sendo eficiente e modernizado, tem barreiras à entrada cujo impacto é realmente surpreendente. A abertura de farmácias tem de ser autorizada pelo Estado e existem técnicas económicas que permitem avaliar o custo dessas barreiras — essencialmente, as margens de distribuição observadas e os valores dos trespasses. Se utilizarmos este último factor, atingimos 1,5% a 2% do PIB.
(Abel Mateus no Jornal de Negócios, via Blasfémias e Câmara Corporativa)

Pensar as direitas

Pensamentos de Natal

Nosso Senhor dirige-se a todos os homens, para que venham ao seu encontro, para que sejam santos. Não chama só os Reis Magos, que eram sábios e poderosos; antes disso tinha enviado aos pastores de Belém, não simplesmente uma estrela, mas um dos seus anjos. Mas tanto uns como outros – os pobres e os ricos, os sábios e os menos sábios – têm de fomentar na sua alma a disposição de humildade que permite ouvir a voz de Deus.

- S. Josemaría Escrivá, Cristo que passa, 33

RTP1, 20.45 - Cobertura Insurgente

Não está a falar de Portugal, pois não?

Mário Soares, é ainda hoje o único fenómeno político à esquerda que obriga a direita a conter-se nos seus propósitos de hegemonia e exclusão pela via eleitoral.
Medeiros Ferreira no Bicho Carpinteiro

Almost all major media outlets tilt to the left

..."I suspected that many media outlets would tilt to the left because surveys have shown that reporters tend to vote more Democrat than Republican," said Tim Groseclose, a UCLA political scientist and the study's lead author. "But I was surprised at just how pronounced the distinctions are."

...Of the 20 major media outlets studied, 18 scored left of center, with CBS' "Evening News," The New York Times and the Los Angeles Times ranking second, third and fourth most liberal...

...The results appear in the latest issue of the Quarterly Journal of Economics, which will become available in mid-December.
[Fonte]

Estou chocado.

O que vale é que em Portugal as coisas são muito diferentes...

Poll: Bush's Approval Ratings Climb

belief that the United States is making significant progress toward establishing a democratic government in Iraq has jumped dramatically, by 18 points, to 65 percent. A sense of progress in establishing civil order similarly is up, by 16 points, to 60 percent. Each is its best since these questions first were asked in the spring of 2004.

...56 percent think the United States is winning the war, a recent theme of the president's, up slightly from 51 percent in August.

Approval of Bush's handling of the situation in Iraq is up by 10 points to its best of his second term, 46 percent.
Como toda a gente sabe, os americanos são estúpidos.

Talvez Portugal pudesse exportar o Dr. Louçã para a América para educar o proletariado local. Ou talvez o Dr. Soares esteja disponível para se candidatar nas próximas presidenciais americanas.

Socialismo científico...

...in the mid-1920s Russia's top animal breeding scientist, Ilya Ivanov, was ordered to turn his skills from horse and animal work to the quest for a super-warrior.

...Stalin told the scientist: "I want a new invincible human being, insensitive to pain, resistant and indifferent about the quality of food they eat.

Mr Ivanov's...in 1926...was dispatched to West Africa with $200,000 to conduct his first experiment in impregnating chimpanzees...a centre for the experiments was set up in Georgia
[via Drudge]

Economics of Santa's Workshop

Santa's realm can function only as an island of autocracy in an ocean of market freedom, which is why the whole world could not run like what we imagine to be the worker's paradise of Toyland. If Toyland ever attempted to provide everything for everyone and, thanks to IMF subsidies, succeeded in becoming the world's only producer, it would bring about global poverty and misery. That's because when firms get so big as to abolish internal markets for their capital goods, they lose the ability to calculate efficiently. Inefficiency invites competition.

Compare the dubious economic merits of Toyland with the competitive marketplace, in which firms pay workers, purchase raw material, hawk their wares, charge prices, and calculate profits and losses, all in an effort to give the consuming public what it wants. Instead of venerating Santa's socialist utopia, let's raise our wassail mugs to the capitalist economy that provides for us, not only at Christmas, but all year 'round.

Grande Votação Insurgente 2005: the end is near

Basta!

A curva de Laffer em acção

19.12.05

Pobre Bolívia...

Comunicado do Grande Timoneiro Insurgente

Candidato a post do ano (ou, no mínimo, do mês)

• PRESIDENCIAIS • INSURGENCIAIS

Alegre Blasfémias garante que vai «até ao fim»

O candidato à Presidência da República O candidato a melhor blog de direita em 2005 Manuel Alegre Blasfémias criticou, este sábado, a sugestão para que os candidatos da esquerda os blogues liberais desistam a favor de Mário Soares dos Acidentais, garantindo que irá «até ao fim».

[...]

Apesar de admitir que a sua candidatura é «incómoda» para muitos, Alegre o Blasfémias reafirmou que é um «acto contra o medo» blogue muito divertido e que o seu objectivo é «criar um novo espaço tomar o poder trabalhar para a CIA destruir o Benfica raptar o Pai Natal atirar tartes a Louçã implodir o Vaticano «criar um novo espaço de cidadania liberal» em Portugal. «Eu não vou desistir. O tempo não é de transigência, é de exigência Feliz Natal e proximidade Bom Ano Novo», frisou.

Pluralismo metodológico: momento neoclássico

[O]f the vast increase in the well-being of hundreds of millions of people that has occurred in the 200-year course of the industrial revolution to date, virtually none of it can be attributed to the direct redistribution of resources from rich to poor. The potential for improving the lives of poor people by finding different ways of distributing current production is nothing compared to the apparently limitless potential of increasing production.

(via Cafe Hayek, por indicação do leitor RM)

Leitura particularmente recomendada ao Timshel e outros cristãos progressistas.

Don't take a boat to Bolivia

  • Nacionalização das florestas
  • Nacionalização das reservas de petroleo e gás natural
  • Aumentar os impostos sobre as multinacionais e subsidiar as empreas nacionais.
  • Redistribuição de Terras
  • Convocar uma Assembleia Constituinte para reescrever a Constituição. - Morales diz que "se a constituição for neoliberal ele não a poderá respeitar"...
  • Pedir o perdão total da dívida externa - imagino o que irá suceder se (quando, isto é) ele não lhe for concedido...
  • Apoiar a ALBA (Alternativa Bolivariana para las Américas) em oposição à ALCA - promover o comércio "justo" como alternativa ao comércio livre
    I respect Cuba a lot. When it comes to Che Guevara, our only difference is the armed struggle—I don’t accept armed struggle. Maybe it was the way in the ’50s and ’60s, but we want a democratic revolution.

    There are many progressive leaders in Latin America right now; presidents like Fidel and Chavez, but also Kirchner [in Argentina], Lula and Tabarez Vasquez [in Uruguay]. The social movements are very strong and interesting and they move from union struggle, to local, to national struggle. If the 19th century belonged to Europe and the 20th century to the United States, the 21st century will belong to America, to Latin America. I have a vision of integration, like the European Union, with a single market and a single currency and with the corporations subordinate to the state.
  • Leitura recomendada

    Bem notado

    Estranho...

    Comunicado do Comando Superior da Insurgência

    Está explicado (II)

    [C]onclui[-se] que os resultados de uma sondagem não podem ser transmitidos a terceiros pela empresa/instituto que faz a sondagem sem o consentimento do cliente, mas que, obviamente, o podem ser desde que esse consentimento exista. E que, como é óbvio, podem ser transmitidos pelo cliente a terceiros se assim o entender.

    Um elemento adicional: como é óbvio, assim que os resultados de uma sondagem começam a circular por redacções de órgãos de comunicação, a probabilidade de que cheguem rapidamente às mãos de partidos ou candidatos é elevadíssima, mesmo que não haja uma decisão da direcção do órgão de comunicação social nesse sentido...

    Democracia: sem participação, não há representação

    E ainda diziam que ele não era culto...

    É preciso ter calma...

    O impacto do Plano tecnológico já se começa a fazer sentir

    A entrada do Massachusetts Institute of Technology (MIT) em Portugal pode estar em risco devido a divisões no interior do Governo relativamente ao Plano Tecnológico.

    (...)

    Uma das exigências colocadas pelo instituto norte-americano é que o MIT possa recrutar investigadores junto de todas as universidades nacionais, hipótese que não agrada a alguns elementos do Executivo.

    Estes defendem que seja apenas uma universidade portuguesa, nomeadamente o Instituto Superior Técnico (IST), a deter a exclusividade da parceria com o MIT.
    [fonte: Diário Digital]

    Ovos, galinhas e instituições

    More efficient governmental organization is hardly a worthy ideal by itself, but it may be a part of the process of realizing the ideal, which in this case is limiting the coercive powers of the state and expanding the areas of human interaction that are governed by voluntary agreement, rather than by power. But determining where you start the process of institutional change to get to that ideal is not an easy problem to solve.

    Recomendo a leitura do texto na íntegra: Chickens, Eggs, and Scrambled Institutions

    Mourinho vs. Wenger

    Chelsea's first league win at Highbury since 1990 put the champions 20 points clear of Arsenal, all but snuffing out the title hopes of Arsene Wenger's side who suffered their third successive league defeat without scoring.

    Estudos preparatórios

    18.12.05