8.7.06

A nossa querida Coreia

Recomendo vivamente no corta-fitas, três "retratos" norte-coreanos de Luis Naves.
Coreia do Norte (I)
Coreia do Norte (II)
Coreia do Norte (III)

A recomendação de leitura não se esgota na pessoa de Bernardino Soares.

O Catolicismo e os Valores do Ocidente

"É muito difundida a crença de que o Catolicismo representa o retrocesso e a obscuridade e que os valores ocidentais da liberdade e da democracia foram moldados exclusivamente a partir dos movimentos de caráter iluminista que começaram, na Europa, a partir do século XVII. Contudo, ao contrário do que se costuma ensinar em escolas e mesmo em universidades, desde a Alta Idade Média até a atualidade há uma intensa complementaridade entre o Catolicismo e os valores que constituem nossa consciência ocidental em seus mais diversos matizes. É inegável a influência da tradição católica para o progresso nas áreas da economia e do direito, nas artes e nas ciências."

Claudio Téllez, "O Catolicismo e os Valores do Ocidente"

(via CIEEP)

7.7.06

Quem influencia Stephen Harper

A revista "Georgia Straight" de Vancouver, apresenta esta semana um artigo sobre o novo primeiro ministro canadiano, com o título "Harperstein": qual a influência de think thanks como o Fraser Institute, o Civitas Society ou de Friedrich Hayek, nas suas políticas e na sua actuação até ao presente e no futuro.

In his videotaped address to the 30th-anniversary crowd, Harper showed off his $45 Fraser Institute silk Adam Smith tie and confirmed he was a big fan of the institute. Like the Fraser, he is dedicated to the ideas of Friedrich Hayek, leader of the Austrian School of economics.

Leitura recomendada.
Pode ser que sirva como mais uma fonte de inspiração à criação de organizações semelhantes em Portugal.

Sindicatos liberalizam cuidados de saúde

Os sindicatos da banca estão na fase final de uma negociação que já dura há vários meses e que visa a criação de uma nova entidade para gerir as contribuições dos trabalhadores e dos bancos e escolher a melhor oferta no mercado em serviços de saúde. Esta entidade, que funcionará como uma Unidade de Serviços de Saúde Partilhados, não será proprietária de nenhuma estrutura de saúde nem ficará limitada aos serviços que os SAMS [Serviços de Assistência Médico-Social] possuem hoje. Ou seja, e segundo explicaram ao Expresso, quem oferecer melhores preços e mais qualidade, contratará com esta entidade (...)
E o Estado seguirá o exemplo?

Scolari da política nacional perde oportunidade

José Sócrates é neste momento o Scolari da política nacional, dominando todos os truques do jogo. A remodelação de um ministro na véspera de um importante jogo da selecção nacional de futebol é uma manobra que vai ficar nos manuais. Substitui um elemento problemático do seu Executivo com o país distraído com o Campeonato do Mundo.

Contudo, as últimas mudanças no Executivo foram oportunidades perdidas. O ministro da Economia é que devia ter sido contemplado com o bilhete de saída e, neste caso sem a respectiva contrapartida. Ou seja, uma saída e nenhuma entrada. Pura e simplesmente, acabava-se com o Ministério da Economia. O problema de Portugal está identificado há muito: baixo crescimento económico. E como é que se resolve? Com um choque de economia. Mais mercado, mais concorrência e menos Estado.
Bruno Proença, no Diário Económico.

Lula, o banqueiro

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva determinou que os bancos públicos continuem a aumentar o volume de crédito disponível e também a reduzir os spreads --diferença entre o custo de captação dos bancos e a taxa efetiva cobrada dos clientes. A informação foi dada pelo ministro da Fazenda, Guido Mantega, que participou de reunião de Lula com representantes dos bancos públicos realizada nesta quinta-feira.

[Folha Online, via DE]
Convém lembrar o ministro Mantega que o volume de crédito e spreads praticados pelas instituições financeiras depende do risco de incumprimento dos clientes. Semelhante decisão política, a médio prazo, apenas aumenta o crédito malparado.

Malária

Let there be no doubt that the war on malaria has failed. It is estimated that 800,000 children in Africa die from the disease every year, and as many as three million people altogether every year.

We know how people contract it: from mosquitoes. We know how to control it: kill the carrier mosquitoes. And we know what kills them: DDT.

So why has the war on malaria failed? Because governments banned the cure. Now they claim to wonder why people are sick and dying.

(...)

Today, the big bucks are looking to fix the problem. Nearly $1 billion was spent last year alone. Warren Buffett ($31 billion) and the Gates Foundation have gotten in on the act. Where is the money going? Only a tiny portion will be spent on DDT spraying, the restrictions on which are only now being slightly loosened, provided it is sprayed in homes and not on crops.

Mostly the money is going to nets. Nets! As if this were the 19th century! It's obvious that the agencies involved in this struggle are reluctant to reach for the spray can, or even discuss it.

The hidden hand behind this horror is none other than the environmentalists. The frenzy against DDT launched their movement. It is what emboldened them, and gave their political agenda momentum. In some ways, their campaign against DDT perfectly sums up their political bent: using state power to ban products and services that help humans, and thereby cause history to roll backward.
Links:

Londres 7/7 (2)

It is encouraging that Muslim leaders have just launched a national forum to counter extremism, specifically recognising its dangers in their midst. It must be here, and not in Whitehall, that strategies are elaborated to overcome this problem. The question many will ask, however, is: why has this initiative taken so long?
al-Qaeda releases tape commemorating the 7/7 London bombings

###
Relacionado:
O Vaticano confronta o Islão (Daniel Pipes)

Conflitos entre o governo jordano e as actividades da Irmandade Muçulmana na Jordânia

E sobre a talibanização da Somália:

Somalia's Terror Camps


Video Shows Arabs Fighting in Somalia


Death for Somali Muslims who shirk prayers

A vida a preço de saldo

6.7.06

Londres 7/7

Coreia do Norte


###

Nas últimas semanas a Coreia do Norte não devolveu à China os comboios que transportaram provisões de comida e combustível:
North Korea just ignores Chinese demands that the trains be returned, and insists that the trains are part of the aid program. It's no secret that North Korean railroad stock is falling apart, after decades of poor maintenance and not much new equipment. Stealing Chinese trains is a typical loony-tune North Korean solution to the problem. If the North Koreans appear to make no sense, that's because they don't. Put simply, when their unworkable economic policies don't work, the North Koreans just conjure up new, and equally unworkable, plans. The Chinese have tried to talk the North Koreans out of these pointless fantasies, and for their trouble they have their trains stolen. How do you negotiate under these conditions?

Quantos são? Quantos são?

A adesão à greve da administração pública ronda os 10%, segundo o Governo. Este é um número substancialmente inferior ao apontado pelos sindicatos, da ordem dos 75 a 80%.

[RR]
Métodos de contagem diferente, sem dúvida.
Será que ambos os lados (patrão-estado e sindicatos) conhecem exactamente quantas pessoas pertencem ao universo dos trabalhadores da administração pública?
Será que sabem exactamente a que entidades eles estão afectos?
Ou a coisas estão de tal modo descontroladas que cada um dos lados se refere a um país diferente mas igualmente irreal?
É que 70% de diferença não é pouco; são muitas dezenas de milhares de funcionários públicos.

A Mão Invisível (2)

Troops from both sides mixed freely helping to set up the event. Many of the Chinese soldiers brandished cameras instead of guns.Businessmen from both sides crossed into each other's territory by bus to attend trade fairs after the ceremony. The visits are to be symbolic and no one will carry goods, said S.P. Subba, who heads Sikkim's Industries Directorate.
But China views the pass as more than just a symbol, said Sun Yuxi, China's ambassador to New Delhi. "It is not just symbolic, we mean business," Yuxi said before crossing over the border into China
Relacionado:
A Mão Invisível

Com as prisões ilegais dos outros...

... podemos nós bem, terão pensado os agentes do governo francês.

France has defended visits by officials to a U.S. military camp at Cuba's Guantanamo Bay between 2002 and 2004 following a report which has thrown a terrorism trial into turmoil.(...)
"These missions, which were of an administrative nature, were aimed at identifying precisely French citizens who might have been at Guantanamo and at assessing their situation in a general manner," it [the French Foreign Ministry] said in a statement dated Wednesday.
It added that the aim was also to gather information needed to allow France to prevent terrorism and that representatives of other government officials had taken part in these missions to help achieve both these goals.(...)
A top French court has already ruled that the detention of suspects in the U.S. naval base was illegal, and defense lawyers said the prosecution's case was based in large part on information gleaned from the secret interviews.
The failure to include the interviews in the case file was a serious breach of defendants' rights which could later see a superior court rule the trial invalid, the lawyers told reporters.

[ABC]

O Cantinho do Hooligan (trade mark FJV)

Está dado o 1º passo

"Venezuela has joined the South American trade bloc Mercosur in a move that has split observers over whether it will help or hinder the group. President Hugo Chavez said Venezuela's "road to liberation" lay with Mercosur and called the expansion "historic".
Mercosur was set up in 1991 and its four current members are Brazil, Argentina, Uruguay and Paraguay.
Some critics have said that Venezuela's membership will hurt its economy and increase tensions within Mercosur."
(Notícia da BBC: http://news.bbc.co.uk/2/hi/business/5148660.stm)

5.7.06

Contra o futebol, matar, matar

Acabou e o melhor está encontrado

Viva Italia

Demissão do governo holandês

The Netherlands is to hold elections on 22 November, following last week's collapse of the government, a negotiator has announced.(...)
The centre-right government resigned because of an internal dispute about Immigration Minister Rita Verdonk.(...)
The centrist D-66 party walked out after failing to get Mrs Verdonk sacked.
It accuses her of mishandling the case of MP Ayaan Hirsi Ali, who had admitted telling lies on her asylum application in 1992.
Mrs Verdonk threatened to strip Ms Hirsi Ali of her Dutch citizenship, but later did a U-turn, claiming she had found a legal loophole that would allow the lawmaker to stay in the country.

[BBC]

Sobre o Ayaan Hirsi Ali e a perda da cidadania holandesa, já por aqui se postaram algumas coisas que valem a pena reler, dado o ponto a que se chegou:

Miser Europa...

Moral da história

Dhimmitude

Ayaan Hirsi Ali

"Holland's Cassandra"

Ayaan Hirsi Ali na América

Chega de futebol...

Deixemos a bola. No campo da política, o governo continua a dominar a agenda.

A oposição mantém-se muito lenta, dando todo o espaço à equipa do governo. Não fazem marcações ministro a ministro nem sectoriais e aparentam ter sempre menos elementos em campo. No entanto, apesar das facilidades concedidas pela oposição, o governo não tem aproveitado bem os espaços. Rematam muito, mas quando se analisa as repetições, apercebemo-nos que os remates têm pouca força e direcção e raramente entram na baliza, apesar do estardalhaço na comunicação social que se farta de gritar golo antes de tempo.
Post do goleador blasfemo jcd. Leitura recomendável.

Copy & paste: cotação do euro

Pouco depois da abertura dos mercados europeus o euro valia 1,2768 dólares, acima dos 1,2794 dólares registados na terça-feira ao final do dia.
Notícia da Lusa replicada, sem qualquer revisão editorial, pelo Diário Digital e Agência Financeira.

Exigências antidemocráticas

O Bloco de Esquerda (BE) exigiu hoje o fim da criminalização do aborto e anunciou que "apoiará todas as iniciativas" para mudar a lei, após três mulheres e um médico terem sido condenados em Aveiro pela prática de aborto.
Para este partido minoritário, a democracia é um obstáculo aos seus objectivos políticos. Permitir que uma maioria dos eleitores decida em referedo sobre a prática de aborto é, para estes, continuar a "perseguição judicial das mulheres".

Sobre a questão da interrupção voluntária da gravidez, bloquistas - e militantes de outros partidos - afirmam que o direito da mulher ao seu próprio corpo não pode ser, pelo Estado, usurpado. Este argumento é, no mínimo, curioso vindo de estatistas que defendem políticas de confiscação do produto do nosso próprio corpo...

Liberais podem, por isso, sentir-se tentados a concordar com as afirmações daquele partido de extrema-esquerda. Mas o assunto é mais complicado que o BE quer fazer parecer. A discussão não deve limitar-se apenas ao direito da mulher mas deve incluir, também, o direito do feto à vida. Para esse fim, volto a perguntar: quando, durante o período de gestação, deve o feto deixar de ter o estatuto de "parasita"?

Calderón e Allende

Se

Os sinos dobram por nós

4.7.06

Paris: ontem, hoje e amanhã

Can't touch this II

É por causa do IPod

O ópio do povo II

"Um jovem torcedor curdo tentou se suicidar por causa da eliminação da seleção brasileira da Copa do Mundo da Alemanha. Segundo a agência iraquiana de notícias Aswat al-Iraq, Ziad Abdullah, de 19 anos, aplicou inúmeras facadas no peito, na cidade de Akkra, localizada 400 quilômetros a nordeste de Bagdá. Ele foi encontrado pelos pais desacordado no chão da casa da família. O hospital local informou que o estado do torcedor é estável."

(via O Globo)

Sem comentários.

'Tá complicadex

O Governo não conseguiu garantir a implementação na totalidade das medidas previstas nos primeiros três meses do programa de simplificação administração (SIMPLEX).
José Sócrates impôs aquele prazo para o cumprimento de 81 medidas, mas 25 estão ainda por cumprir.(...)

Quanto à justificação para os atrasos, lê-se de tudo, desde a falta de formulários ou pareceres, até ao facto de a medida ser mais complicada do que aquilo que o Governo tinha avaliado.

[RR]

É preciso não esmorecer, Exmo. Sr. Primeiro Ministro. Só já falta serem implementadas 344 medidas.
Lembre-se: p'rá frentex é que é o caminhex.

A força do poder local está na democracia

Justitia Omnibus

3.7.06

Can't touch this

Business as usual...

Rather like the venture capitalists behind the American software industry, Mr Gates is a venture philantropist: he backs schemes, assesses them and dumps failure.
The horror...the horror..

Inacreditável: a URSS não era uma ditadura

O prazer é todo meu

"Gaza is free of occupation, yet Gaza wages war"

What is so remarkable about the current wave of violence in Gaza is that the event at the origin of the "cycle" is not at all historical, but very contemporary. The event is not buried in the mists of history. It occurred less than one year ago. Before the eyes of the whole world, Israel left Gaza. Every Jew, every soldier, every military installation, every remnant of Israeli occupation was uprooted and taken away.
How do the Palestinians respond? What have they done with Gaza, the first Palestinian territory in history to be independent, something neither the Ottomans nor the British nor the Egyptians nor the Jordanians, all of whom ruled Palestinians before the Israelis, ever permitted? On the very day of Israel's final pullout, the Palestinians began firing rockets out of Gaza into Israeli towns on the other side of the border. And remember: those are attacks not on settlers but on civilians in Israel proper, the pre-1967 Israel that the international community recognizes as legitimately part of sovereign Israel, a member state of the U.N. A thousand rockets have fallen since.

Eleições no México

López Obrador considerou que o Programa de Resultados Eleitorais Preliminares do Instituto Federal Eleitoral (IFE), que com 96,2% dos votos apurados dá uma ligeira vantagem ao seu principal rival, Felipe Calderón, teve uma evolução «atípica».

(...)

De acordo com a última actualização dos resultados feita pelo IFE, às 09:20 (15:20 em Lisboa), com 96,2% dos votos apurados, Felipe Calderón surgia com 36,43% dos votos, contra 35,40% de López Obrador.

Como é bom ser sindicalista

Índia

In the mid-1980s, India's middle class comprised just 10 percent of the population. Today, it's larger than the entire population of the United States and is predicted to grow to 445 million by the end of this decade. For 70 years, Mohandas Gandhi's myopic vision of backward-looking socialism as a template for national advancement was accepted as revealed wisdom by a string of Indian prime ministers, starting with his acolyte, Nehru. Despite a plenitude of cotton, Gandhi didn't think India should create a cotton industry, believing instead that every family should own a spinning wheel and spin its own. He didn't believe India should develop a manufacturing base, which not only caused the dead hand of "import substitution" to smother native initiative, but the failure to develop factories meant there was also a failure to develop infrastructure like roads and ports to take goods to market.

Now at last, riding on a new surge of confidence at home and overseas, Indians have ditched austerity, the spinning wheel and the Mahatma and are spending it up like maharajas. In a recent survey, 90 percent of them cheerfully admitted that they spend their disposable income on non-essentials.

Opiniões

Violência contra portugueses em França

A França que perdeu no Domingo

Mais um bom/óptimo campeonato em perspectiva

2 anos

O ópio do povo

"Uma estátua com 7,25 metros de altura, em homenagem a Ronaldinho, instalada na Avenida Getúlio Vargas, na cidade de Chapecó, em Santa Catarina, amanheceu queimada na madrugada do último domingo.
(...)
De acordo com autoridades, sobrou apenas uma das mãos, um pedaço da bola e alguns arames retorcidos da estátua. Até bandeiras do Brasil foram queimadas."

(via Terra)

Ainda Rooney e Ronaldo

Reforço de Verão

Rooney vs. Ronaldo

WAYNE ROONEY last night sensationally accused Cristiano Ronaldo of deliberately getting him sent off - as England crashed out of the World Cup against Portugal after a nerve-shredding penalty shoot-out.

He revealed that his Manchester United team-mate spoke to him just before the game and said: "I am going to get you sent off."

Rooney, in tears and raging, told fellow players in the dressing room: "I can never play with him again. I am going to f****** sort him out."

Eugenia, Eutanásia e Nacional Socialismo

Peter Crouch and Wayne Rooney

Wayne Rooney - momentos memoráveis (2)

Wayne Rooney - momentos memoráveis (1)

Em destaque

"We never do that to referees"

2.7.06

Mundo Moderno

Respondendo a Bono

Bento XVI e a Globalização

"Bento XVI considera que a solidariedade é a chave para que a globalização se converta em uma aliada (e não em uma inimiga) da luta contra a pobreza.
(...)
Neste contexto, explicou, 'a Igreja, ao considerar o exercício da caridade como uma dimensão essencial de seu ser e sua missão, desenvolve de maneira abnegada uma valiosa atenção aos necessitados de qualquer condição ou proveniência, e colabora nesta tarefa com as diversas entidades e instituições públicas, a fim de que não falte uma mão amiga a ninguém que busque apoio para superar sua dificuldade'."

(via Zenit)

Caridade, sim. Mas nunca por obrigação. A virtude cristã da caridade pode e deve ser sempre incentivada, mas não deve ser imposta através de artificialidades estatais ou mecanismos redistributivos que tolhem as iniciativas individuais e inibem o pleno desenvolvimento das capacidades. A preocupação sincera com o bem estar do próximo é conseqüência do fortalecimento moral e não da aniquilação das liberdades.

"Rooney you idiot!"

Erro de casting resolvido no MNE (2)

Freitas do Amaral demitiu-se ontem do cargo de ministro dos Negócios Estrangeiros por motivos de saúde. Esta foi a versão oficial, mas, segundo apurou o CM, a demissão deveu-se a um acumular de situações, sendo decisivas discussões com o embaixador norte-americando e conflitos com um assessor diplomático de José Sócrates.

Conversões (2)

É justo reconhecer que Scolari é um grande treinador de seleccção.
Agora, depois do primeiro passo de reconhecimento a Ricardo, só falta mesmo o CAA dar o braço a torcer relativamente a Scolari...

Conversões (1)

A realidade do Estado "social"

Os dez mil alunos e professores das três faculdades do pólo universitário da Ajuda, em Lisboa, estão a organizar-se para "fazer um cordão humano de estudantes junto ao Ministério da Administração Interna e exigir mais policiamento na zona", revelou ao DN a presidente da Associação de Estudantes do Instituto Superior de Ciências Sociais e Políticas, Sofia Ferreira. Essa acção foi ontem aprovada em assembleia geral de alunos daquele instituto.

"Vamos convidar os ministros para cá virem e apresentar-lhes a insegurança que se vive aqui. Passamos cá quatro anos de inferno", relata a mesma responsável.

Denuncia casos de prostituição e toxicodependência, ameaças e roubos a alunos e professores à porta das faculdades e a falta de autocarros, "que acabam quase todos pouco depois das 21.00 e não há mais transportes. Estamos aqui metidos num desterro onde não há nada. Nem sequer há um café onde ir pedir ajuda". Por isso mesmo, "há alunos que até deixam de vir às aulas e só vêm fazer os exames".
(via Incontinentes Verbais, num post de Rui Castro que também merece leitura atenta)

A educação no Chile vista por Hermógenes Pérez de Arce

Dupla de sucesso (2)

Dupla de sucesso (1)

Oposição liberal, precisa-se

Panorama intelectual brasileiro

"Os dois grupos [intelectuais petistas e tucanos] são formados por intelectuais originados da ortodoxia marxista. Houve um bom período de domínio hegemônico dessa corrente na universidade. Os partidos comunistas mais ortodoxos sustentavam grupos universitários de poder, controlando cargos acadêmicos, formação de colegiados e até publicações. Nem precisava ser membro de algum desses partidos para ter essa sustentação, bastava ser uma linha auxiliar, um simpatizante. Essa instrumentalização hoje se mantém, ainda que com menor vigor. Esses monopólios são difíceis de ser quebrados.
(...)
Em seus trabalhos de pesquisa, as pessoas se citam reciprocamente, e abundantemente. Se você procurar a literatura publicada imediatamente depois do meu livro, não encontrará nenhuma citação. Isso só foi ocorrer anos depois. A censura ideológica neste país é muito grande."

Maria Sylvia de Carvalho Franco, em entrevista à revista VEJA

(via VEJA Online)