2.3.06

Discordo

Freitas do Amaral acrescentou ainda que, na sua opinião, condenar a violência «não era o essencial, o essencial estava muito para além e mais fundo»: «as ofensas enormes que tinham sido feitas a toda a comunidade islâmica com a publicação dos cartoons».
Para mim, do ponto de vista de política externa (e interna), o fundamental era mesmo condenar a violência e o acessório seria criticar a eventual falta de bom senso dos cartoons.